A massa é, antes de mais nada, sinônimo de cozinha italiana.

Aqui abrimos parênteses pra explicar que, na Italia a palavra “maccheroni” pode ser entendida como sinônimo de massa, apesar de ser um tipo de massa. Outra questão que encontraremos é que, em algumas regiões os “maccheroni” são o mesmo que os “rigattoni” e em outras o “spaghetti”, como acontece no Brasil (macarrão = espaguete).

Na escola de culinária da Casa Artusi vamos preparar um primeiro prato típico de cozinha do sul da Itália: Macarrão com Sardinha, a receita 88 do Pellegrino Artusi. Que o autor atribui a uma das tantas senhoras que contribuíram, graças à intensa troca de cartas e sugestões para enriquecer seu manual.
Na verdade, Artusi escreve “Desta receita sou devedor a uma viúva e espirituosa senhora, cujo marido siciliano se divertia em fazer alguns pratos de sua cidade ”.
Ingredientes
150g de massa de Gragnano IGP, e nesse caso vamos usar o “maccheroni”, conhecido como rigattoni
100g de sardinha fresca
12 tomates Pachino IGP
Algumas anchovas salgadas ou em conserva de óleo
Um pouco de funcho selvagem
Azeite de oliva extra-virgem de Brisighella PDO
Modo de preparo
Coloque um fio de azeite extravirgem Brisighella DOP numa frigideira. Para melhor liberar o sabor das anchovas, escolhemos um azeite muito especial. Assim que as anchovas estiverem desfeitas, adicione os tomates Pachino IGP bem picados e alguns ramos picados de erva-doce selvagem.
Pegue as sardinhas, enfarinhe e frite em óleo de semente quente. Seque com papel absorvente.
Cozinhe os Maccheroni di Gragnano IGP em água fervente com sal por cerca de 10 minutos. Escorra o macarrão al dente e misture na frigideira junto com o molho preparado.
Empratar, finalizando com as sardinhas fritas e o funcho selvagem.
Para este prato, usamos dois ingredientes principais do sul da Itália: a massa Gragnano IGP e os tomates Pachino IGP. E, para realçar os aromas deste prato, optamos por utilizar um pouco de azeite extravirgem Brisighella DOP que, sobretudo quando cru, liberta ao máximo as suas características organolépticas, produzido na Romagna, nas colinas de Brisighella, que lhe dá o nome.
A Itália, de Norte a Sul, sendo o país europeu com o maior número de produtos agroalimentares DOP e IGP, oferece uma grande variedade de matérias-primas “dentre as mais refinadas, que se mostram versáteis e de qualidade, que vão sempre levar muito sabor e perfumes à mesa, assim como Pellegrino Artusi nos aconselha.