É sabido que o panettone é o doce que representa o Natal italiano no mundo, e há muitas receitas com variações de recheio, do tradicional com frutas cristalizadas às criações modernas com chocolates e outros recheios. Por isso, decidimos apresentar a receita escrita no livro dos livros da culinária italiana, o “La Scienza in Cucina e l’Arte di Mangiar Bene” escrita por Pellegrino Artusi.
Esta é a receita 604 do livro, que traduzimos aqui.
A Marietta é uma boa cozinheira e tão boa e honesta che mereceu que eu nomeie esse doce com o seu nome, por ter aprendido dela.

  • 300 g de Farinha finissima
  • 100 g de Manteiga
  • 80 g de Uva sultanina (passa)
  • 1 Ovo 2 Gemas de ovo
  • 1 pitada de Sal
  • 10 g Cremor Tártaro (bitartarato de potássio)
  • 5 g Bicarbonato de sódio
  • 20 g Frutas cristalizadas picadas Perfume de casca de limão (extrato ou casca ralada)
  • 200 ml de leite

No inverno, amoleça a manteiga em banho-maria e trabalhe com os ovos, juntem a farinha e o leite aos poucos, depois o resto, menos a uva e os pós que entram por último; mas, antes de colocar estes, trabalhe o composto por pelo menos meia-hora e reduza com o leite até a consistência correta, ou seja, nem muito líquido nem muito denso. Despeje num molde liso, mais alto que largo e com o dobro do tamanho para que, ao crescer, não transborde e permita que fique com a forma de um pão redondo. Unte as paredes com manteiga e pulverize com açúcar de confeiteiro misturado com farinha e asse no forno. Se ficar bem, verá que cresce muito, formando uma cabeça inflada e rachada. É um doce que merece ser recomendado porque é muito melhor que o panettone de Milano que se encontra no comércio, e é fácil de fazer.